Livros

A revolução dos feios - Selo povo (R$ 30,00)
Um refugiado se lança no coração do Pacífico. Sem plano B. Sua única alternativa é chegar. Quando o incerto ainda é mais seguro que sua terra. Sem bagagem. Seu corpo é testemunha, prova, e griot de toda uma gente – um tempo – que já não existe.
Sem epopéias, obviamente. Vulnerável e infalível. A revolução nunca aconteceu neste lugar comum chamado discurso.
Assim, a palavra de Ni Brisant é sua pátria. Sua bandeira é o vento.
Há quem escreva sobre seu tempo, sobre sua gente, sobre seus demônios. Ni escreve com.
Quarto livro deste pugilista lírico, A revolução dos feios é uma escolha pela contramão, pelo silêncio das exceções.

Como aquela bailarina sem pés, que ganha a vida dançando na rua, Ni Brisant escreve.

* Para Brisa 3ª edição (R$ 20,00)
Literatura solta, mas sem a pretensão de ser só leveza. Soco no estômago, “um gancho e dois cruzados” de um velho pugilista que usa a poesia como defesa.
Para Brisa é busca, deslocamento, levando cada um a procurar significados, um encaixe em si. Intimidades reveladoras de personagens quase épicos em suas questões existenciais, mas próximos de nosso cotidiano. 
A “coragem” é recorrente, intrínseca nessa literatura contestadora, que transcende protestos panfletários, pois além de ser denúncia na sua essência, também é anúncio de novas e possíveis utopias.
Ni Brisant reúne aforismos, poesias e ilustrações e prova que maturidade não tem a ver com chatice. 
Essa produção independente destaca-se por criar interessantes diálogos entre textos e desenhos. 

+ Disponível através do e-mail nibrisant@gmail.com e no site LiteraRua




*Tratado sobre o coração das coisas ditas - 2ª Edição (R$ 20,00)
Livro independente. Isso significa ousadia e senso crítico para transitar entre diferentes gêneros literários e falar do nosso tempo.
Nesta obra de estreia, o escritor Ni Brisant utiliza-se de poesia, contos e crônicas para expor uma retórica prodigiosa - capaz de transpor o indizível ao desenvolver uma linguagem poética rica de significados e perspectivas.

As narrativas vão flertando com questões filosóficas, sentimentais e do cotidiano em geral, dando pistas e propondo raciocínios que conduzem a destinos e conclusões instigantes.
O tom de desafio e de troca de ideias prevalece nos trinta e sete textos desta obra, e é aí que reside a sua maior virtude: o leitor pode ser o protagonista ou o coadjuvante das tramas, não há imposições. 
Leia e descubra o acordo entre o seu espírito, a sua natureza e as palavras.
+ Disponível através do e-mail nibrisant@gmail.comno site LiteraRua (clique aqui)

Se eu tivesse meu próprio dicionário


E se você pudesse mudar o significado das palavras? Pois assim é a nova obra do poeta baiano Ni Brisant. 
Um dos livros mais aguardados de 2014, Se eu tivesse meu próprio dicionário reúne 78 micro poemas que se utilizam de muito humor e audácia para ressignificar toda uma vida. As palavras-canivetes de Ni pretendem um lindo absurdo, no qual o leitor é desafiado a escrever um novo mundo a 4 (ou mais) mãos. 
Essa edição zero do menor minidicionário das galáxias tem capa do artista plástico Célio Luigi e foi feita com todo carinho e piriguismo. Boa lida!
Disponível através do e-mail nibrisant@gmail.com , no site LiteraRua (clique aqui)


Contatos para oficinas, saraus etc:
E-mail: nibrisant@gmail.com.br
Facebook: Ni Brisant